quarta-feira, abril 30, 2008

Atira aos meus pés o Se de cada classe

Atira aos meus pés
Tapete vermelho
Onde solo e assolo
Solas de sapatos
sórdidos
Doida para pisar
Descalça
A solos rasos.

2 comentários:

Blog Lokiparsifall disse...

Hei Donna Purple!

Vai aqui um "pequeno" comentário sobre a sua poesia:


Composição fônica: Uso de rimas livres e construídas de formas tonais no meio das frases como “Onde solo e assolo”, uso de aliteração de “s” repetitiva, sendo que esta da uma característica silvada para o poema, como o rastejar e o pisar de leve.

Formação semiótica: Existe uma operação de oposição simbólica construída entre o complexo e o simples, que pode ser marcada pelas palavras disfóricas e eufóricas do texto que se encontram isoladas pela poetisa como expressão única na sentença. Sendo a palavra que marca disforia como “sórdidos” e a euforia como descalça, corroboram com a tese de oposição acima citada

Nota interpretativa: É necessário examinar em primeira instância, a mínima unidade de sentido textual que é indicada pelo título, “Atira aos meus pés o Se de cada classe” sendo que este também corroborando a genialidade e argúcia do poema que utilizara em toda a sua continuidade as imagens subseqüentes ao enunciado. É evidente que com esta formulação fica claro que o assunto a ser tratado estará abaixo do eu – lírico enunciador, portanto é passível de análise ainda a partícula “Se” que indica o condicional, dúvida ou auto-referencia, ainda seguida do de cada classe que pode identificar classe como grupo ou composição de indivíduos ou mesmo sua função. Uma possível interpretação é que a oposição primordial desta poesia fale das formas de compreensão de mundos, sendo que uma delas é através das palavras da poetisa “ Solas de sapato” assim mostrando um mundo anti-natural, trazendo as idéias inclusas a isso como o estado de não naturalidade, que é marcado pelo oposição no texto pelo outro termo “Descalça” como estado de natureza ou real. As imagens do sistema criadas pelo poema permitem uma interpretação polissêmica, ou seja com mais de um sentido, dando tanto essa oposição básica, o sentido preferido na análise acima como também um viés social sobre esta, podendo ser entendida como uma crítica aos falsos valores sociais trazidos pelo poder.

Só um letreiro pra fazer uma explicação desse tamanho pra um texto pequenininho....

Bjus bjus

Fernanda disse...
Este comentário foi removido pelo autor.