quarta-feira, abril 16, 2008

Pena de morte

Pendurada ficou a cabeça
Por meia dúzia de tristezas
Mais finas do que espessas
Enforcada à sutileza
Da lágrima seca

Meretriz íntima
Secciona pescoço da vítima
Em golpes masoquistas
De sexo sem conquista
Guilhotina!

Estrangula o que és forca
Da abstinência consentida
Em corte limitado à rapidez
De um estupro sem malícia.

2 comentários:

SBTVD disse...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my blog, it is about the SBTVD, I hope you enjoy. The address is http://sbtvd.blogspot.com. A hug.

Blog Lokiparsifall disse...

Bom moça nem sei se posso comentar aqui...

Mas esse seu texto é de extrema sensibilidade e bom gosto, não vou comentar os aspectos técnicos pra não ficar parecendo um chato, devo dizer que realmente me apaixonei por essa poesia

= )

Sem mais elogios né...

[Se não fico parecendo puxa saco]