quarta-feira, dezembro 10, 2008

Chio

Do amor, ele era o resto,
O morto,
O protesto do sufoco.
Não é que quisesse trocar
Alguém por ninguém,
Queria a todos
E seus poréns.
Não acredita nas verdades,
Mas crê
Numa boa mentira mal contada
E que essa, sim, seja a tal da realidade.

6 comentários:

Marcell disse...

:O ... foda!

Paulo Tamburro disse...

"QUERIA A TODOS
E SEUS PORÉNS"
Sabe onde isto está magistralmente traduzido?Veja o filme:Todas as mulheres do mundo, com Paulo josé.
Depois me conta!

Thiago José. disse...

muito bom :)

Danyel de Argolo Cardoso disse...

Excetuando-se a busca pela realidade, você traduziu meu último semestre com esse poema.

AjB disse...

...uau , que poeta !!!

são de sua autoria ???...se sim os meus parabéns , muito bom...

isis disse...

Fantástica... você é minha poeta favorita. ;)