quarta-feira, janeiro 14, 2009

mala sem alça

É chegado o dia,
As roupas ficaram velhas
Como nossa emoção,
À noite as flores não têm mais
O mesmo cheiro da alvorada.
E o que era a amizade
Diante desse lamurio perdido
Entre um adeus e outro,
Em que até mesmo a chuva
Faz voltar ao paraíso,
Gota a gota que se tromba
Junto à gravidade dos pequenos
Pecados terrenos dos quais pisamos?

2 comentários:

julio.de.castro disse...

moça, moça... mil coisas.

Paulo Tamburro disse...

MUITO BOM!