terça-feira, setembro 01, 2009

Corte

Treme o peito
Sem efeito a adoçar
O café amargo enferrujado
Que furou a pistola
Que atravessa os miolos
A sabotar a roleta russa
Pelo sangue do pulso
Lambendo a navalha

Deus que te valha!
Pelo que rico
Teme teu peito

Um comentário:

Nádia disse...

Realidade nossa de cada dia...Muito Bom... sua sensibilidade as vezes até assusta...rss bj