domingo, outubro 04, 2009

Colcha de Retalhos

Há muita linha a ponto de agulha
Pra pouco pano pra manga
Na colcha que me aquece, esquece que
São poucas as balas pra estampa

Ofereço minhas cores primárias
Por seus caminhos e fechadas tramas
A rendar o que ando tecendo
Pelo que lhe resta de escamas

Dobras sobram no embrulho
Que me faltam nos retalhos
De tear prematuro
Que cego me finta descaso

Um comentário:

Nádia disse...

Escreva...escreva muito...almas agradecem e tecem rumos nas tuas poesias... Bj